fbpx

4 curiosidades sobre o capim-elefante como pasto

Capim elefante

O capim-elefante é um dos pastos mais adaptáveis do Brasil e acolhe produtores de todas as regiões, justamente por não ser exigente com as condições climáticas e nem com o solo. Além disso, também é aplicável a diferentes tipos de gado, do leiteiro ao de corte.

Veja mais sobre suas características, indicações e benefícios, manejo e irrigação!

Quando é indicado?

O capim-elefante é uma gramínea bastante resistente à seca, então, a sua primeira indicação é para regiões que enfrentam essa condição climática frequentemente, ou para quem sofre com faltas de chuva em determinados períodos do ano.

Além disso, é um capim bem adaptável e se desenvolve bem na maioria dos solos mapeados no Brasil, assim como nos diferentes climas do nosso país. Ou seja, se você é de uma região em que encontrou dificuldades para cultivar outros tipos de pastagem, talvez seja hora de trocar para o capim-elefante.

Ademais, é indicado para propriedades que visam o aumento da produção, seja de gado leiteiro ou de corte, já que um hectare de capim-elefante, em média, pode nutrir de quatro a sete cabeças.

Quais os benefícios?

O capim-elefante é um dos melhores para ajudar no aumento de produções de leite ou carne, justamente por ser uma pastagem de alta produção de forragem, ser resistente ao clima, a pragas e adaptável ao solo.

Por exemplo, no caso do gado leiteiro, algumas pesquisas já mostraram que o capim-elefante faz com que as produções de leite cheguem de 12 a 14kg por vaca/dia. Já para o gado de corte, não encontramos dados sobre o rendimento com o capim-elefante, apenas sabe-se que o seu potencial de produtividade é verdadeiro.

E o manejo?

É bem simples, na prática, o ideal é começar com um pastejo focado na uniformização das gramíneas, até alcançar níveis de crescimento parecidos entre os piquetes. Para começar esse processo, espere o capim-elefante atingir 1m de altura, então abaixe-o até 60-70cm, não mais que isso.

Lembrando que os animais, idealmente, devem entrar no piquete quando o pasto estiver entre 1,70 a 1,80m de altura. Assim que atingir 1m, o gado deve ser retirado.

Assim como nas demais rotações de pasto, evite o superpastejo, para não prejudicar o ciclo de cada piquete.

Precisa de irrigação?

Sim. Mesmo que seja bem tranquilo quanto ao clima, uma forma de aumentar ainda mais a produtividade do capim-elefante é realizando a irrigação do pasto regularmente, de acordo com suas necessidades hídricas.

Além disso, a irrigação ajuda na nutrição da própria planta e, por consequência, também do gado. Sendo que, no caso da fertirrigação, ainda é possível aproveitar os dejetos dos animais da propriedade para adubar o pasto de forma econômica e eficiente.

Por isso, aqui vai uma última dica: o nosso guia sobre como fazer uma boa irrigação de pastagem explica o que é uma irrigação aplicada ao pastejo, como fazê-la, importância e sistemas indicados.

Vale a pena a leitura para você entender melhor sobre os benefícios de investir em irrigação para melhorar a produtividade do seu gado.