fbpx

Conheça as características dos principais sistemas de plantio

Conheça as características dos principais sistemas de plantio

Existem variados sistemas de plantio. Para escolher a técnica correta para a sua plantação, é preciso entender as vantagens e as desvantagens de cada um deles. Assim, você compreende os benefícios de cada tipo de semeadura para ter uma lavoura de qualidade. Confira! 

Veja quais são os principais sistemas de plantio

Os sistemas de plantio apresentam características diferentes, que podem influenciar na colheita do cultivo. Por isso, o agricultor precisa analisar qual é a melhor opção para o tipo de lavoura, topografia e equipamentos disponíveis para a produção agrícola. Saiba mais a seguir! 

Sistema de plantio em linha

O plantio em linha consiste na colocação de sementes em linhas retas e paralelas, com um espaçamento específico indicado para cada tipo de cultivo. Nesse sistema de plantio, a semeadura ocorre de maneira uniforme, melhorando o aproveitamento.

Ele tem como principal vantagem a melhor regulagem da taxa de semeadura, devido à distribuição precisa de grãos em determinada área. Além disso, permite que a taxa e o resultado das plantas emergidas seja mais previsível, melhorando o planejamento da produção.

Outro benefício diz respeito à adubação, que é mais eficiente quando feita em plantações com plantio em linha. Isso porque os fertilizantes são melhor absorvidos quando aplicados próximos ao sistema radicular da planta.

Sistema de Plantio Direto

O Sistema de Plantio Direto (SPD) é uma técnica que dispensa o uso de gradagem e aração. Dessa forma, a semente é colocada no solo não revolvido, sobre a palhada, por meio de semeadoras específicas. Basicamente, o SPD consiste em fazer pequenos sulcos apenas para a cobertura da semente. 

Essa técnica é uma forma de realizar o manejo sustentável da terra, pois evita a liberação de gases dO efeito estufa pelo solo. Além disso, esse sistema de plantio evita a erosão do solo e favorece a lavoura em tempos de estiagem, pois possui alta capacidade de retenção de umidade. 

Outra vantagem é que o agricultor ganha tempo para semear, em comparação com o sistema de plantio convencional. Por outro lado, a SPD não pode ser feita em todos os tipos de cultura. 

Sistema de plantio a lanço

No sistema de plantio a lanço, as sementes são jogadas na terra e precisam ser enterradas. Esse processo normalmente é feito com um rolo compactador ou com a soltura do gado do terreno. É fundamental realizar essa etapa para não correr o risco de o grão não ser incorporado ao solo, impactando na germinação.  

O plantio a lanço é o sistema mais utilizado por produtores agrícolas e pecuaristas que fazem uso do sistema de integração Lavoura-Pecuária (iLP). Também é utilizado pelos agricultores que utilizam palhada da forrageira para plantio direto.

Esse sistema permite uma melhor distribuição das sementes no espaço e, assim, utilizam taxas de semeaduras maiores. Por conta disso, é muito importante que se tenha um cuidado maior para respeitar a largura de trabalho definida para semeadora, bem como realizar o cálculo correto de sementes para cada hectare.  

Sistema de plantio aéreo

Um dos sistemas de plantio com maior custo, essa técnica necessita da utilização de aviões agrícolas para lançar a semente no solo. Entretanto, com o avanço da tecnologia, esse serviço pode ser feito por meio de drones, uma alternativa mais viável financeiramente.

Entre as vantagens, o plantio aéreo permite a semeadura de grandes hectares em pouco tempo. Outro benefício da utilização do sistema de plantio aéreo diz respeito à economia, principalmente no plantio feito em grandes áreas de desmatamento, além do alto rendimento operacional.

O que levar em conta na hora de realizar a semeadura? 

Independentemente da opção escolhida dentre os sistemas de plantio, é fundamental que o agricultor esteja atento a fatores importantes para uma produção agrícola lucrativa e de qualidade. Saiba quais são a seguir. 

Profundidade de semeadura

Em geral, o indicado é que a profundidade de semeadura corresponda a 2,5 vezes o tamanho da própria semente. Porém, o ideal é considerar as características de cada planta na hora de calcular a profundidade correta, assim como o tipo de solo:

  • solo arenoso tem menor retenção de umidade, ou seja, exige uma semeadura mais profunda;
  • solo argiloso retém muita umidade, sendo assim, a semeadura pode ser mais rasa do que no anterior.

Taxa de semeadura

A taxa de semeadura é a quantidade de sementes que devem ser semeadas no solo de acordo com o tamanho da área. Em alguns sistemas de plantio, como o aéreo, esse cálculo garante que o solo seja semeado de forma uniforme, mesmo com os agentes externos — como o vento e a falta de cobertura de sementes.   

Para realizar esse cálculo, o agricultor pode contar com o auxílio da tecnologia, como, por exemplo, o aplicativo Cálculo de Semeadura, disponível na Google Play. A taxa de semeadura também deve ser feita para a plantação de forrageiras. 

Monitoramento do plantio 

O monitoramento do plantio deve ser feito de forma constante durante o desenvolvimento das plântulas nas primeiras semanas da semeadura. Nessa época, é importante prestar atenção às pragas e insetos, que podem prejudicar o desenvolvimento das plantas.

Irrigação de semeadura

Mesmo com a previsão do tempo e o plantio no clima mais favorável ao cultivo, depender apenas da chuva natural é arriscado. É importante conhecer os tipos de sistemas de irrigação e escolher o ideal para a lavoura. 

Após ler este post, será mais fácil escolher a opção ideal dentre os sistemas de plantio. Como você leu acima, a irrigação é fundamental para um cultivo de qualidade, independentemente da técnica de semeadura escolhida. 

A IRRIGAT é referência em oferecer equipamentos para a agricultura e pecuária. Acesse o site e conheça os sistemas de irrigação e fertirrigação mais completos do mercado, voltados para as mais diversas culturas e topografias.