Você já conhece a genética na agricultura e seus benefícios?

Genética na agricultura

Ainda há certo preconceito quando o assunto é genética na agricultura, já que a crença popular é de que plantas alteradas geneticamente seriam prejudiciais à saúde. O que já foi provado cientificamente que não é verdade.

Mas, o assunto de hoje é justamente para falar um pouco mais sobre os benefícios e desvantagens dessa prática aos produtores, para que possam decidir se vale a pena aderir a prática ou não.

Entenda:

O que é genética aplicada à agricultura e quais as vantagens?

Basicamente, é um campo de estudo que se concentra na aplicação de princípios genéticos e técnicas moleculares para melhorar os plantios em diversas frentes. Por exemplo, com algumas tecnologias genéticas, é possível desenvolver variedades de plantas que sejam:

  • mais produtivas;
  • mais resistentes a pragas e doenças;
  • mais tolerantes a condições ambientais adversas.

Entrando mais no detalhe, existem várias técnicas e abordagens usadas na genética aplicada à agricultura. Por exemplo, podemos citar:

Melhoramento convencional

Seleção e cruzamento de plantas com características específicas para criar variedades melhoradas, com maior rendimento, resistência a doenças e adaptação a diferentes ambientes e condições climáticas.

Hibridização

Envolve o cruzamento controlado de duas linhagens puras de plantas para produzir uma progênie que apresente características superiores de ambos os pais. Com isso, o foco é melhorar a qualidade e produtividade das culturas.

Engenharia genética

Também conhecida como modificação genética ou transgenia, é uma técnica em que genes específicos de uma espécie são inseridos em outra para conferir características desejáveis.

Por exemplo, genes que conferem resistência a pragas, tolerância a herbicidas ou maior teor de nutrientes podem ser introduzidos em plantas cultivadas.

Edição genética

É uma técnica mais recente e que permite a modificação precisa do DNA de um organismo. Ou seja, é possível fazer alterações específicas no genoma das plantas, como a desativação de genes indesejados ou a introdução de novos genes.

Existe alguma desvantagem em usar genética na agricultura?

Embora a genética na agricultura ofereça benefícios significativos, também apresenta desvantagens.

Primeiramente, pode ter impactos negativos no meio ambiente, como o uso excessivo de herbicidas e a possibilidade de transferência de genes para espécies selvagens.

Em segundo lugar, a seleção de plantas resistentes a pragas e doenças pode levar ao desenvolvimento de resistência nessas populações, exigindo estratégias de manejo integrado de pragas.

Quais as culturas mais comuns nessa prática?

A genética aplicada na agricultura tem sido usada em diversas culturas, mas existem algumas em que seu uso é mais comum. E, trazendo para a realidade do pequeno e médio produtor, temos dois destaques:

🌱 Soja: a genética aplicada na soja tem foco em desenvolver variedades geneticamente modificadas, resistentes a herbicidas ou com características de qualidade, como maior teor de proteína ou melhor qualidade de óleo.

🌱 Milho: já o milho se utiliza da genética para criar variedades mais resistentes a pragas, como o milho Bt, que possui genes de uma bactéria que produz uma proteína tóxica para insetos-alvo.

Conclusão

A genética na agricultura traz diversos benefícios ao produtor, que cada vez mais tem acesso a sementes e mudar modificadas para serem mais produtivas e resistentes. Mas, é claro que as práticas básicas e bem feitas são o sucesso de qualquer plantio, seja ele melhorado geneticamente ou não.

Por exemplo, sem um bom sistema de irrigação, de nada adianta ter as melhores sementes, pois mesmo que elas sejam fortificadas através de técnicas de genética, ainda assim, a água na dose certa é o recurso primordial para a vida delas.

Banner Blog 720x180 3