fbpx

Variedades de milho: tipos de sementes e como escolher o seu plantio

Variedades de Milho

Sabemos, hoje, que a produção de milho é uma das mais importantes no mundo todo. Tanto para o mercado interno brasileiro, quanto para o mercado internacional. É um cultivo de fácil adesão e que gera um custo benefício extremamente interessante.

Entretanto, as grandes variedades de milho podem gerar uma grande dúvida na maioria dos produtores. Pensando nisso, a IRRIGAT traz um compilado dos principais tipos de grãos e, ao final, uma dica preciosa para você escolher a melhor espécie para seu objetivo de cultivo.

Mas antes, vamos nos informar um pouquinho da importância do milho na nossa história.

Origem

Para nossa surpresa, o milho é um grão tipicamente brasileiro, não foi trazido por qualquer embarcação europeia que veio para as nossas terras.

Sendo assim, o milho já vinha sido plantado no Brasil pelos índios e constituía a base da dieta dos indígenas. No entanto, foram os portugueses que deram novas finalidades no uso do milho, o transformando em farinhas e até mesmo em outros modos de preparo.

Com a abundância e disposição de cultivo desse grão, se tornou um dos principais produtos a ser exportado para diversas regiões do mundo, o que acaba ocorrendo até os dias de hoje.

Bom, a partir de agora, passamos a identificar as variedades de milho e suas principais caraterísticas.

Variedades de Milho

Hoje, traremos os 5 principais tipos de variedade de milho. São as que possuem maior disponibilidade e finalidades aqui em nosso país. A grande diferença entre grãos, em sua essência, depende exclusivamente da distribuição de amido e proteína no grão.

1 – Milho dentado

Esse tipo de milho é conhecido pela sua forma quando desidratada, pois forma uma depressão na parte de cima do grão, muito parecido com a coroa que possuímos nos dentes. Possui colorações variantes entre o branco e o amarelo, podendo ser avermelhado em alguns casos.

É uma variedade muito utilizada na nutrição animal e na indústria, principalmente na produção de álcool e xaropes medicinais.

2 – Milho Duro

É o milho com uma consistência e estrutura mais robusta, caracterizado pelo endosperma duro e de maior proporção. O conhecemos como o milho com aspecto firme, liso e brilhante. As suas colorações são de base laranja-avermelhada.

Estes grãos são muito utilizados no meio industrial para a produção de canjicas, fubás, snacks, massas, cervejas, condimentos, entre outros.

3 – Milho Farináceo

Este, ao contrário do item anterior, tem uma característica mais frágil, tendo um endosperma mais mole. Essa característica permite que o grão seja mais fácil de ser moído, o transformando em farinha com maior facilidade. São grãos de coloração branca e amarela e de sabor suave e adocicado.

São muito utilizados na produção de farinha, bolos, pães e biscoitos. Outro ponto interessante é a ausência de glúten no grão, o que traz mais um gama de variedade de utilização de suas farinhas para pessoas com restrições e/ou reeducação alimentar.

4 – Milho Pipoca

São grãos que nascem de espigas menores, são duros e pequenos de cor amarelo-alaranjada.

No seu interior um teor maior de água e óleo, o que, quando submetidos a grandes temperaturas, se tornam a nossa querida pipoca. A sua qualidade é medida pela sua capacidade de expansão (quando estoura), o que diferencia uma pipoca da outra, em tamanho e maciez.

5 – Milho-Doce ou Milho-Verde

Esse milho não é 100% natural, advindo de uma mutação genética na estrutura molecular do grão. Por isso, seu endosperma produz fitoglicogênio em vez de amido, conferindo a ele um sabor mais adocicado.

Este milho tem coloração amarelada, tem formato oval e o seu miolo é translúcido.

A sua principal utilização é a alimentação humana, servindo em conservas e até mesmo servido cozinho diretamente na espiga, como o qual comemos na praia.

Qual devo cultivar?

O processo decisório do tipo de diversidade de milho a ser cultivado é de extrema importância, principalmente para o pequeno e médio produtor, onde todos os custos e detalhes fazem uma grande diferença.

Pensando nisso, você deve se atentar a 3 pontos:

Avaliação do mercado interno e de sua região: Verificar qual o tipo de manejo o destinatário ou intermediário do seu produtos utiliza é o primeiro passo para a escolha do tipo de milho, pois você terá ideia da demanda que deverá produzir e não correr o risco de ficar com produção represada pela falta de vazão das safras de grãos.

Características Físicas de sua propriedade: Saber o seu potencial de produção é outro fator preponderante. Dependendo da cultura de milho há uma utilização maior de recursos de solo, de planejamento de irrigação, de clima e sua propriedade deve estar preparada para receber essa cultura na hora da semeadura.

Mão-de-obra, maquinário e possibilidade de investimento para qual tipo de produção: Como já dito anteriormente, há várias características que devem ser escolhidas na hora da escolha do tipo de milho a cultivar.

Há variedades que demandam grande necessidade de tratamento o que exigirá uma maior quantidade de mão-de-obra e maquinário. Outra questão é a sua capacidade de investimento, tendo em vista que cada tipo de milho pode gerar uma linha de crédito diferente.

Com essas dicas, acreditamos que ficará bem mais fácil escolher entre todas as variedades de milho que irá cultivar em sua terra.

Já decidiu qual a espécie de milho irá cultivar? Então, vem saber um pouco mais sobre irrigação para o plantio de milho.