8 passos para realizar a recuperação de pastagem e como mantê-la ao longo do ano

Gado pastando sob o sol a pino com céu cheio de nuvens brancas.

A recuperação de pastagens é um tema importante para a pecuária brasileira, uma vez que esta é a principal fonte de alimento para o gado. No entanto, muitos produtores passam por situações onde os pastos encontram-se degradados devido ao uso inadequado, o que compromete a produção (carne e leite) por conta da qualidade do alimento.

Sendo assim, para recuperar uma pastagem degradada, é necessário adotar uma série de medidas, que incluem a correção do solo, a adubação, o controle do pastejo, o controle de plantas invasoras, a reforma da pastagem e, principalmente, a irrigação.

Abaixo, iremos abordar mais detalhadamente as oito etapas para recuperar uma pastagem de gado e como manter sua qualidade ao longo do ano.

1 – Avaliar a situação atual da pastagem

O primeiro passo é avaliar a situação atual da pastagem. É importante identificar as causas da degradação, como o superpastejo, falta de fertilização, compactação do solo, seca e estiagem, entre outros.

2 – Realizar a correção do solo

O segundo passo é realizar a correção do solo, caso seja necessário. Isso pode ser feito por meio da análise do solo, que irá indicar as necessidades nutricionais da pastagem e permitir a correção do pH, caso seja necessário.

3 – Adubar a pastagem

O terceiro passo é adubar a pastagem, com base na análise do solo e nas necessidades nutricionais das plantas. A adubação deve ser feita de forma adequada e com produtos de qualidade, para garantir a eficiência e o melhor resultado.

4 – Controlar o pastejo

O controle do pastejo é um dos fatores mais importantes para a recuperação da pastagem. É necessário definir o período de descanso da pastagem e evitar o superpastejo, para que as plantas possam se recuperar e se desenvolver adequadamente.

5 – Controlar as plantas invasoras

O controle das plantas invasoras também é fundamental para a recuperação da pastagem. É importante adotar técnicas de controle integrado, que incluem a roçada, o uso de herbicidas e o controle biológico.

6 – Realizar a reforma da pastagem

Em alguns casos, é necessário fazer a reforma da pastagem, que inclui o plantio de novas espécies vegetais e a recuperação do solo. Isso pode ser feito por meio de técnicas como a gradagem e a semeadura direta.

7 – Acompanhar a evolução da pastagem

É importante acompanhar a evolução da pastagem e fazer as correções necessárias ao longo do tempo. Isso inclui a realização de análises de solo e de qualidade da pastagem, para garantir a produtividade e a saúde do solo e das plantas.

8 – Realizar a irrigação

Por fim, caso a pastagem necessite de irrigação para se desenvolver adequadamente, é importante realizar esse manejo de forma adequada. É necessário avaliar a demanda hídrica da pastagem e utilizar sistemas de irrigação eficientes, que garantam a distribuição uniforme.

A irrigação pode ser feita por meio de sistemas de aspersão, como o carretel de irrigação, ideal para pequenos e médios produtores. É importante ressaltar que a irrigação deve ser feita de forma racional e eficiente, para evitar o desperdício de água e garantir a sustentabilidade da produção agropecuária.