fbpx

Como a irrigação pode aumentar a produção de milho?

Saiba como a irrigação pode favorecer a produção de milho

O milho é um dos principais grãos produzidos no Brasil. Em 2020, mesmo com uma queda em comparação aos anos anteriores, os produtores brasileiros exportaram 34,67 milhões de toneladas do cereal. A produção de milho brasileira, aliás, é a terceira maior do mundo, ficando atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

Para maximizar o cultivo, alguns produtores apostam na irrigação. Mas, você sabe como a irrigação pode aumentar a produção de milho? Para encontrar as respostas, continue a leitura!

Como funciona a produção de milho no Brasil?

O Brasil é um país muito privilegiado quando falamos de condições climáticas. Aqui, as características possibilitam duas safras de milho em um ano. A primeira safra acontece no verão, e a plantação varia de acordo com o clima nos estados.

Já a segunda safra é conhecida como “safrinha” e suas colheitas vêm apresentando um crescimento constante nos últimos anos. Entre os fatores responsáveis por essa melhora na safrinha, é impossível deixarmos de lado o investimento dos produtores em técnicas de irrigação.

Por que a irrigação é uma boa alternativa para aumentar a produção de milho?

Quem trabalha sob o sol da lavoura, sabe que não existe milagre e que todas as conquistas são resultado de muito trabalho duro. O desenvolvimento tecnológico no campo, porém, vem apresentando alternativas para facilitar a vida dos produtores rurais. Nas lavouras de milho, a irrigação é uma técnica que vem se popularizando.

Afinal, nos últimos anos temos enfrentado duras crises hídricas e fortes períodos de estiagem. Até mesmo nas regiões mais favorecidas pela chuva há os períodos conhecidos como “veranicos”. Esse fenômeno é caracterizado por poucos dias sem chuva, mas que podem acontecer em momentos muito importantes para o desenvolvimento do milho.

E o resultado dos veranicos pode ser muito danoso aos produtores, acarretando em perdas de até 50% na capacidade produtiva da lavoura.

Desse modo, optar pela irrigação é uma atitude inteligente e muito vantajosa. Possibilitando colheitas até mesmo na entressafra, o uso da irrigação nas lavouras de milho ainda melhora a qualidade do produto e evita perdas na produção.

Na prática, o sistema de irrigação faz com que o solo contenha 60% da água, quantidade suficiente para o completo desenvolvimento do ciclo do milho. Portanto, além de otimizar os recursos naturais, a irrigação de milho pode melhorar a qualidade do grão.

Para compreendermos na prática os resultados da irrigação, vamos analisar um estudo feito pela Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS). De acordo com a pesquisa, nos últimos nove anos, a produtividade média das lavouras de milho sem irrigação foi de 95,4 sacas/ha. Enquanto isso, nas áreas de produção irrigada, a média ficou em torno de 200 sacas/ha.

Levando em consideração que o valor médio da saca de milho em outubro de 2020 no Brasil foi de R$ 70,00, a diferença de 104 sacas entre as produções do exemplo anterior giraria em torno de R$ 7280,00 por hectare.

Além de todas as vantagens, o sistema de irrigação ainda permite realizar a aplicação de um método conhecido como “fertirrigação”.

O que é a fertirrigação?

A fertirrigação é um processo que utiliza a irrigação para adubar as plantas. Portanto, além de irrigar sua lavoura de milho, essa técnica nutre as raízes das plantas através dos adubos minerais utilizados no sistema de irrigação.

Quer saber mais? Conheça o ECORRIGAT agora mesmo!