fbpx

Solo argiloso: características, tipos, manejo e irrigação

Solo argiloso

Existem diversos tipos de solo no Brasil que são diferenciados por fatores como densidade, umidade, temperatura, textura, infiltração e retenção de água, entre outros. Sendo assim, hoje falaremos sobre os tipos de solo argiloso, suas características, além do manejo e da irrigação.

O que é um solo argiloso?

Também conhecido como solo pesado, o solo argiloso é composto por mais de 30% de argila — que promove a estabilização química, a proteção física e, dependendo da quantidade, pode interferir nas características do solo.

Quais são as principais características do solo argiloso?

  • Coloração vermelho-escura;
  • É composto por mais de 30% de argila, alumínio e ferro;
  • Sua terra é úmida e macia;
  • Tem grande microporosidade;
  • É profundo;
  • Tem uma maior capacidade de reter água;
  • É mais resistente à erosão;
  • Tem uma maior possibilidade de compactação;
  • Pode ficar encharcado rapidamente, dependendo do teor de argila e da chuva intensa.

Além disso, o solo argiloso se diferencia por sua alta impermeabilidade, sendo um dos preferidos para a construção de barragens de terra.

Tipos de solo argiloso no Brasil

Mesmo com a definição das características do solo argiloso, ele ainda pode ser dividido em 4 tipos.

1 – Argissolo

Encontrado em praticamente 25% da superfície do território brasileiro, o Argissolo possui maior teor de argila nos horizontes superiores, tendo como presenças dominantes argilas de atividade baixa ou óxidos.

2 – Chernossolo

Como principal característica desse solo argiloso, temos a predominância de argila 2:1. Além disso, ele também é fértil, rico em matéria orgânica no horizonte superficial e ocupa 0,5% do território nacional.

3 – Nitossolo

Com um teor alto de argila em todo seu perfil de profundidade, ele é mais comum no Sul do país, mas também pode ser encontrado em São Paulo.

Conhecido como terra roxa, as características desse solo argiloso contribuem para uma boa profundidade, sendo bem drenado, estruturado e moderadamente ácido. Inclusive, é considerado um ótimo solo para a atividade agrícola.

4 – Vertissolo

Formado por, aproximadamente, um terço de argila, o Vertissolo possui uma boa fertilidade química — relacionada aos calcários e sedimentos argilosos, que são ricos em cálcio, magnésio e rochas básicas.

Além disso, esse solo também pode apresentar problemas de natureza física, como baixa permeabilidade.

Manejo do solo argiloso

Solo argiloso após o manejo

O solo argiloso tem características marcantes que podem influenciar em sua produtividade. Sendo assim, é necessário que o manejo seja feito de maneira correta, a fim de permitir o bom desenvolvimento das raízes e evitar a lixiviação.

Dito isso, existem algumas boas práticas para um bom manejo em solo argiloso. Vamos conhecê-las?

Atente-se à umidade

Uma das grandes características do solo argiloso é sua grande capacidade de retenção e armazenamento de água — e isso não significa, necessariamente, que essa água esteja disponível para as plantas.

Portanto, para impedir que o solo fique extremamente encharcado, é preciso manejá-lo com o objetivo de impedir sua desestruturação. Assim, a disponibilidade da água é recuperada, encaminhando-a para seu real propósito.

Isso pode ser feito por meio de práticas de drenagem e técnicas de cultivo que conservem e reestruturem o solo da maneira correta.

Faça a correção do solo

Fique de olho na capacidade catiônica do solo (CTC) e, então, determine qual é o melhor manejo para a correção do seu solo.

Normalmente, os solos argilosos precisam de mais correção, costumam ter uma maior necessidade de adubação e suas perdas nutricionais são mais lentas.

Vale lembrar que os aportes de nutrientes e as novas correções tornam-se menos frequentes com o passar do tempo, mas é preciso manter uma agenda de análises.

Melhore a estrutura

Ao melhorar a estrutura do solo argiloso, é possível equilibrar pontos como drenagem e disponibilidade de água e nutrientes para as plantas. Para isso, uma boa dica é fazer a cobertura do solo, adicionando matéria orgânica a ele.

Vale lembrar: corrigindo a acidez, evitando a compactação e investindo em uma boa adubação, a produtividade da sua lavoura tende a crescer muito mais!

Irrigação

Apesar do solo argiloso ter boa capacidade de reter água, essa retenção não é o suficiente para enfrentar secas ou demais anormalidades climáticas. 

Então, sim, é preciso investir em irrigação mesmo para solos argilosos e você pode conhecer o sistema ideal para isso em nosso conteúdo sobre irrigação autopropelida!