fbpx

O que é Triticale: uma boa opção para suas culturas de inverno

Triticale

Apesar de pouco conhecida pelo público em geral, o Triticale é uma cultura muito utilizada no meio agro. É uma planta que surgiu da mescla de dois dos maiores cereais produzidos no Brasil: o trigo e o centeio.

Esse tipo de cereal tem características bem interessantes e que são do agrado da maioria dos agricultores. Por exemplo, a sua boa adaptabilidade em relação ao clima mais frio.

Vamos, então, apresentar essas peculiaridades do Triticale, junto a algumas dicas do tratamento e de seu processo produtivo, para você ficar por dentro de todas as informações pertinentes ao tema.

Características do Triticale

Como já dito anteriormente, o Triticale é um híbrido entre o trigo e o centeio. Portanto, é um cereal de grande adesão por parte dos agricultores, em virtude de sua versatilidade de utilidades.

Mas, o que chama mesmo a atenção é por ser uma cultura de grande resistência a baixas temperaturas, inclusive, com o seu desenvolvimento favorecido nessa época. Contudo, em contrapartida, não é tão adaptável com altas temperaturas, que prejudicam e muito a sua produção no verão, por exemplo.

Tendo em vista o fator anterior, podemos dizer que a melhor época de plantio se dá entre os meses de fevereiro e maio, período que antecede o início do inverno e também quando começam as baixas no calor extremo para se estabelecer temperaturas mais amenas.

Por tudo isso, o Triticale acaba sendo um cereal muito utilizado como entre-safras, tendo em vista que o período menor de desenvolvimento permite que haja o ciclo de minerais dentro do solo, melhorando a disponibilidade do solo na questão de recursos.

Outra característica muito importante é sua alta taxa de resistência à incidência contra fungos. Lembrando que o fungo é uma das principais intempéries presentes no clima frio e de difícil tratamento.

4 dicas essenciais para cultivar o Triticale

Agora, vamos relatar algumas dicas que podem fazer diferença na sua plantação.

1 – Controle de pragas

Primeiramente, vale ressaltar que apesar da boa resistência a doenças fúngicas, os principais agentes nocivos a esse cereal são as lagartas e percevejos, dentre outros insetos. Portanto, o controle de pragas é essencial para a manutenção de seu crescimento.

2 – Irrigação adequada

Além disso, investir em um sistema de irrigação, por exemplo, ajuda a resolver dois de seus problemas: além de você disponibilizar a condição hídrica necessária para o seu desenvolvimento, permite uma distribuição homogênea dos inseticidas.

👉 Sobre o modelo de irrigação para o Triticale, se você é pequeno ou médio agricultor, indicamos a irrigação autopropelida, através do carretel de irrigação. Nos links ao lado, dois guias muito bons para você entender melhor sobre essa opção.

3 – Espaçamento e densidade do plantio

Outra dica é sobre o modo de semear. Por ser uma planta de fácil adesão, é importante que os canteiros sejam arrumados com um espaçamento de no mínimo 17 cm e no máximo 20 cm. Além disso, a densidade de sementes por m² (metro quadrado) deverá ser de, no máximo, 400 unidades.

4 – Cuidados na colheita

Por fim, alguns cuidados se fazem necessários no momento da colheita. Na prática, o processo precisa ser feito de maneira delicada, com máquinas em baixa velocidade, além do mais indicado ser o uso dos chamados batedores em barras, o que permite uma extração mais delicada das espigas.

Conclusão

Se você busca por opções para a sua entre-safra e/ou para cultivar em climas frios, o Triticale é uma boa solução e precisa de poucos cuidados em relação a outros plantios.