fbpx

Brachiaria Decumbens: características, vantagens e desvantagens

Brachiaria Decumbens

Hoje, com a alta demanda que temos na produção de pastagens para a pecuária no nosso Brasil, fica cada vez mais evidente a necessidade de pesquisa e considerações para pensar na hora de decidir o tipo de pastagem a ser utilizada na terra.

A brachiaria decumbens, apesar da grande queda em sua utilização, é uma opção interessante a ser considerada na cobertura de suas terras.

A seguir, vamos abordar as principais características e os prós e contras de sua utilização, a fim de você tomar a melhor decisão possível e a que lhe trará o melhor custo benefício.

Origem da Brachiaria Decumbens

De origem Ungandana, esse tipo de gramínea só desenvolveu-se na Austrália, quando foi descoberto a quebra de dormência de suas sementes. No Brasil, foi introduzida na região de Matão (SP), onde, posteriormente, passou a ser disseminada no país inteiro.

Nessa região, ficou evidente a sua preponderância sobre a vegetação natural, fato que levou a atenção de vários agrônomos, por sua grande facilidade em aderência ao solo e ao clima da região.

No nosso país, a brachiaria decumbens ficou muito conhecida e utilizada por grande parte dos pecuaristas nas fases de cria, recria e engorda de animais.

Além disso, com o advento de novas tecnologias, outras opções vieram a tomar seu local de destaque, no entanto os preços em que são encontradas hoje, ainda a fazem ser uma boa opção a ser considerada.

Características principais, prós e contras

Apesar de hoje haver uma considerável queda na demanda por esse tipo de pastagem, continua sendo uma opção com um custo-benefício interessante. Diante disso, devemos observar melhor suas características, prós e contras.

Características

É uma pastagem aderente, em sua essência, a clima tropical, com grande propensão a solos de teor ácido e de baixa fertilidade. Outro fator que deve ser considerado, é sua grande resistência a fases de estresse hídrico, necessitando, em média de 800mm de água anualmente.

É uma vegetação de crescimento prostrado, com altura média entre 50cm e 100cm, gerando uma boa cobertura no solo em que é plantada. Para que ajude no seu crescimento, a mesma apresenta grande quantidade de estolões, que se enraízam bem no solo, o que protege e garante o seu crescimento.

Outra característica que merece destaque é que vai de encontro a informação trazida anteriormente, a sua agressividade. Esta é tão alta que a torna, em sua grande parte, preponderante a vegetação da região, não tendo grandes problemas com a cobertura da superfície em que é plantada.

Diante de tanta capacidade de crescimento, a brachiaria decumbens gera, em média, de 8 a 10 toneladas de matéria seca por hectare/ano. Tanto que, ao longo de sua história, foi e é uma pastagem de grande utilidade na pecuária.

É uma pastagem de folhas curta, eretas com bordas planas. Características que corroboram e geram um valor nutricional considerável para a criação de diversas culturas animais, apesar de serem valores bastante parecidos com outras espécies de pastagem tão famosas e utilizadas quanto ela.

Prós

Reforçando os pontos até aqui trazidos, podemos dizer que a brachiaria decumbens não tem problemas de estabelecimento, pela sua alta agressividade e resistência de crescimento.

Possui formação rápida, boa cobertura de solo, persistente mesmo quando mal manejada, além, é claro da sua grande resistência a clima seco e com terrenos áridos, o que a torna uma opção a ser levada em consideração na hora da escolha por diversos pecuaristas.

Além disso, é  pouco atacada por formigas-cortadeiras e mais tolerante à seca do que a maioria das forrageiras comuns, prestando-se, por isso, a ser reservada como feno-em-pé.

Mas nem tudo é como parece, apesar dos grandes prós, as características negativas podem pesar na escolha em detrimento das opções que possuímos hoje no mercado, como veremos a seguir.

Contras

É uma pastagem com alta sujeição ao ataque de cigarrinhas o que pode gerar grandes prejuízos na engorda e crescimento de animais a depender do tratamento utilizado e da época do ano.

Outro ponto importantíssimo a ser considerado é a possibilidade de provocar a fotossensibilização (requeima) em animais jovens, devido à pastagem estar sujeita a criação de fungos da espécie Pithomyces chartarum.

Nos períodos de  verão, tem maior relação folha/colmo, o que afeta sua qualidade, tendo em vista que essa proporção é importante na quantidade de proteínas ingeridas pelo animal, o que pode gerar, nesse caso, menor digestão, maior gasto calórico para digestão por parte do animal, influenciando diretamente em seu peso e produção de leite, se este for o caso.

Outras opções

A inovação tecnológica é um fator de peso na tomada de decisão na hora de escolher a pastagem, tendo em vista a evolução da alteração genética de espécies de forragens e do seu valor nutricional e produtivo.

Diante disso, é crucial verificar as melhores opções apresentadas pelo mercado no que se trata de forragens e pastagens.

👉 Pensando nisso, a IRRIGAT, apresentou um comparativo das melhores opções disponíveis, para ajudar no seu processo decisório. Clique aqui e veja nosso comparativo técnico das melhores opções!

Gostou dessa dica? Acesse nosso site e veja mais matérias sobre o mundo da agropecuária!