fbpx

Milho transgênico ou híbrido? Como escolher suas sementes

Milho transgênico ou híbrido

O avanço da tecnologia permitiu o descobrimento das sementes transgênicas do milho, que facilitaram muito a produção desse tipo de cultura aqui no Brasil. Além da transgenia, as sementes híbridas vêm adquirindo uma parte considerável do mercado.

Mas qual a diferença entre o milho híbrido e o milho transgênico? Vamos abordar agora as principais diferenças.

Hibridez x transgenia

A essência da diferença entre a hibridez e a transgenia é bem simples: a utilização ou não do DNA de outras espécies para realização do cruzamento.

No que tange a transgenia, utilizamos características específicas do DNA de outras espécies para, enfim, formar uma nova semente geneticamente modificada, com os traços das espécies que foram utilizadas.

Já a semente híbrida tem um intuito mais Darwiniano. Enquanto na transgenia temos um cruzamento genético entre espécie, na hibridez temos um cruzamento natural entre espécies da mesma cultura.

Para melhor exemplificar a questão da hibridez, vamos explicá-la separadamente:

Temos uma subespécie de milho que é mais resistente a incidência de pragas e uma outra que tem uma maior taxa nutricional. Após essa seleção de características, utiliza-se um macho e uma fêmea de cada característica e faz-se o cruzamento natural entre as espécies.

Certo, sabemos a principal diferença, mas quais são as aplicações, implicações e vantagens? Vamos analisar cada uma delas.

Milho transgênico

A utilização de milho transgênico tem trazido diversos e ótimos resultados para os produtores, pois há estudos que afirmam que há um média de aumento de produtividade que bate, aproximadamente, na casa dos 25%.

Apesar de cientificamente comprovada a segurança no consumo desses tipos de cultura, infelizmente, há uma fama muito forte no mundo que a alteração genética pode ocasionar diversos problemas à saúde humana — o que, cientificamente, não tem comprovação.

Aliás, muito pelo contrário. Temos um exemplo bem claro de que há espécies de milho transgênico que possuem quantidades consideravelmente menores de agentes cancerígenos e tóxicos se comparados com os milhos provenientes de cruzamento puro e natural.

Milho híbrido

Apesar de ser um processo mais lento se comparado a transgenia, o milho híbrido ainda é mais consolidado e o mais utilizado em todo o Brasil.

Ele é produzido através do cruzamento entre duas espécies puras, que possuem características diferentes e formam um novo ser a partir disso. Essas sementes são mais produtivas quando comparadas às transgênicas.

Além disso, também são mais uniformes e precoces, com um crescimento extremamente saudável, o que permite um total desenvolvimento da planta em curto período de tempo, reduzindo a hipótese de períodos de estresse hídrico.

Milho transgênico x milho híbrido

Bom, a fim de tornar nossa conclusão um consenso, é importante verificarmos os prós e contras de cada um, de maneira breve.

Então, quanto ao milho transgênico, podemos citar o dano ambiental que o mesmo pode causar, ao passo que pode incentivar o aparecimento de pragas mais resistentes, afetando o ecossistema através do desaparecimento de espécies e contaminação de sementes.

Já nas vantagens, temos o aumento na produtividade, na taxa nutricional e redução de custos de produção. Lembrando que, a partir do momento que o meio ambiente se adaptar a estas modificações, passaremos a uma estaca zero.

Enfim, quanto ao milho híbrido, temos um respeito maior ao meio ambiente, pois o mesmo segue o princípio de evolução de espécies através do cruzamento natural.

Como vantagens básicas, podemos citar a redução de riscos com estresse hídrico, escalonamento de colheita, aumento da janela de plantio, redução de riscos com a variação do clima.

No entanto, o milho híbrido possui desvantagens que merecem atenção.

Além da necessidade de maior manejo e adubação, por consequência uma maior mão de obra, em casos de condições climáticas adversas o mesmo possuirá muito pouco tempo para ser reabilitado, o que pode prejudicar a sua produção.

Conclusão

Em suma, para o pequeno e médio produtor que pretende começar nesse cultivo, pode ser que o milho híbrido traga um melhor custo-benefício.

E para complementar a sua escolha, independente de qual for, veja essas dicas super importantes para aumentar a sua produtividade e lucro com a plantação de milho!