fbpx

A cevada para gado pode ser uma opção mais econômica e também eficaz?

Cevada para gado

Com a crescente necessidade de diversificação, muito por conta das alterações de preços no mercado de grãos de cultivos de pastagem, se fez necessária a busca por alternativas mais sustentáveis para alimentar a criação.

Dentre elas, encontramos a utilização da cevada na alimentação do gado.

Mas, calma! O assunto em questão não se trata do grão em seu estado puro, mas sim de um subproduto, o que chamamos de bagaço da cevada. Esse resíduo do processo de fabricação de cerveja é um composto úmido com grande valor nutricional.

Entre as suas principais características, nota-se que é um resíduo com alto valor de massa, além de rico em proteínas e fibras, o que facilita e muito o processo de engorda do gado

Inclusive, nos dias de hoje, é um produto muito utilizado como complemento para a engorda desses animais.

Composição da cevada úmida

Abaixo, indicamos os principais componentes da cevada úmida — em relação ao que o seu animal mais precisa ingerir diariamente. Veja:

  • Matéria seca (MS): entre 21% a 25%;
  • Proteína bruta (PB): de 23% a 28%;
  • Nutrientes digestíveis totais (NDT): de 64% a 66%;
  • Fibra detergente neutro (FDN): 42%, em média.

Sendo assim, o principal déficit da cevada úmida para a alimentação do gado está como fonte de energia, já que esse alimento oferta apenas 65%, em média, de NDT. Ou seja, é um ótimo complemento para oferecer proteínas e fibras, que são seus pontos fortes.

Cevada na alimentação de gado leiteiro e gado de corte

A cevada úmida por ser utilizada para auxiliar na engorda tanto do gado leiteiro quanto do gado de corte. Ou seja, funciona como complemento de ambas dietas.

No caso do gado leiteiro, há especialistas que garantem que a utilização da cevada contribui não só para a saúde do animal, mas precisamente no aumento da quantidade de leite ordenhada. Porém, não há um dado que comprove esse ganho em todos os casos.

Ademais, se atente a quando fornecer a cevada. O ideal é que se faça a implementação na alimentação somente a partir dos seis meses de vida do animal. Isso porque, após esse período, o rúmen (rume) já está desenvolvido por completo.

Além disso, como comentamos brevemente, não é indicado o uso exclusivo da cevada como alimentação do gado, nem mesmo como componente principal deste. Veja como usá-la em cada caso:

Para o gado leiteiro

Isso pode comprometer toda a produção do leite, já que o animal deixa de ingerir — ou faz muito pouco — os nutrientes vindos da matéria seca, principal fonte de energia.

Ou seja, para não haver prejuízo com excesso, recomenda-se que o animal receba cerca de 20% a 30% da parcela total da dieta diária do animal. Com esse percentual, o excesso de fibras e proteínas não sobrecarrega o sistema digestivo do animal.

Leia também: Qual o melhor tipo de capim para gado?

Para o gado de corte

A cevada não deve ser utilizada como principal elemento na alimentação do gado de corte. A dosagem ideal varia de 30% a 40% da parcela total de alimentos ingeridos diariamente pelo animal.

Leia também: Alimentação e pastagem para gado de corte: o que dar para o seu rebanho?

Outras alternativas

Bom, se você está procurando outras alternativas para engorda de seu gado, temos um texto específico sobre como engordar o gado, mostrando várias opções para você aplicar na sua criação e ter resultados melhores.


Fontes:

https://www.comprerural.com/conheca-um-alimento-fantastico-para-o-gado/

https://www.girodoboi.com.br/noticias/posso-economizar-na-racao-de-engorda-usando-mais-cevada-na-dieta-do-gado/

https://www.cpt.com.br/noticias/cevada-na-racao-de-vacas-leiteiras-reduz-custos-de-producao

https://www.youtube.com/watch?v=ciFcnBiU4SE