fbpx

Plantas daninhas: as mais comuns no Brasil e cuidados pré-safra

Plantas daninhas

As plantas daninhas são sempre uma grande preocupação para qualquer produtor, pois tem influência direta nos resultados de sua produção se a sua incidência estiver fora do período correto de sua utilização.

No entanto, essas culturas também são utilizadas no período entre-safras, de maneira muito benéfica, além de que são utilizadas para pastagem.

Como a informação nunca é demais, trouxemos as espécies mais presentes em nosso território nacional e algumas dicas de cuidados que todo produtor deve ter, principalmente no período pré-safra.

O que são plantas daninhas?

A “planta daninha” pode ser denominada qualquer uma que nasça fora do local destinado à determinada cultura.

Essas plantas indesejadas são os verdadeiros ladrões de nutrientes de diversos tipos de cultivos, o que afeta diretamente em seu crescimento e desenvolvimento.

Além disso, são plantas de fácil aderência ao solo, com caráter competitivo e agressivo diante da sua facilidade em encontrar os nutrientes e fontes de alimentação, o que a torna uma grande concorrente de qualquer cultura.

Espécies de plantas daninhas

Nesse momento, vamos apresentar algumas espécies de plantas daninhas e algumas de suas características:

  • Buva: planta de alta taxa de reprodução, pois a mesma consegue se espalhar rapidamente pelo vento. Outra característica marcante é sua alta resistência a herbicidas.
  • Leiteira: é uma das plantas de maior dificuldade de controle, principalmente no cultivo de soja. É um daninha que germina o ano todo e que tem grande reprodução em climas quentes, como é predominante aqui no país.
  • Capim-amargoso: outra planta com alta taxa de reprodução e um grau considerável de resistência a herbicidas, exigindo um grande controle de sua incidência.
  • Azevém: espécie nativamente cultivada em regiões de climas mais frios, assim como as suas parentes, tem alta taxa de crescimento e forragem do solo, é uma planta de alta taxa nutricional.
  • Capim-pé-de-galinha: gramínea de germinação anual, tem fácil adaptação em climas mais frios e com grande aderência em solos compactos. Por fim, também  é uma daninha resistente a herbicidas.

Manejo de daninhas no período de pré-safra

Apesar da grande dificuldade de controle de seu desenvolvimento, temos algumas dicas que podem te ajudar nessa tarefa difícil:

Controle do solo

Áreas em repouso é, definitivamente, a grande de entrada para as plantas daninhas em suas terras. Há um considerável aumento da multiplicação da cultura e na produção de sementes, o que aumenta a sua abrangência em toda a extensão de terra.

Além de controlar a infestação de ervas daninhas, as plantas utilizadas como cobertura tem a capacidade de reduzir a infestação de nematóides e melhorar o solo para cultivo.

Herbicidas pré-emergentes

A administração de herbicidas pré-emergentes é um grande administrador de banco de sementes na sua lavoura.

Lembrando que é sempre importante ter o auxílio de um agrônomo especializado em herbicidas, tendo em vista que o mesmo pode identificar a espécie de daninhas e o melhor produto a ser utilizado, sem trazer prejuízos no cultivo.

Irrigação

Sim, outro fator importante para a prevenção e combate às ervas daninhas é um sistema de irrigação adaptado à cultura que será semeada.

Uma irrigação bem planejada, garante uma planta forte e saudável mesmo em períodos de seca, forte o suficiente para a resistência de qualquer planta daninha.

Por isso, nós preparamos um informativo contendo uma forma fácil e prática de irrigação, mesmo em períodos de seca, tornando o combate a ervas daninhas bem mais eficienteLeia esse texto aqui e aproveite essa dica!

Gostou deste informativo? Então, acesse o site da IRRIGAT e veja muitas outras dicas para implementar em seu cultivo!